Loading...

Covid-19: perguntas frequentes, transmissão da doença e medidas de prevenção

O novo coronavírus está a levantar cada vez mais questões e preocupações, e estas são ainda mais importantes quando se trata da saúde dos nossos filhos. Reunimos aqui informações importantes sobre o vírus e mostramos-lhe alguns passos simples que pode tomar todos os dias a fim de se proteger. A prevenção é essencial para reduzir a propagação do coronavírus, por isso não hesite em educar os seus filhos e encorajá-los a adoptar bons hábitos de higiene.

PERGUNTAS BÁSICAS SOBRE O COVID-19

O que são os Coronavírus?

Os coronavírus são uma família de vírus que podem causar infeções nas pessoas. Normalmente estas infeções afetam o sistema respiratório, podendo ser semelhantes à gripe ou evoluir para uma doença mais grave, como pneumonia.

O que é o Novo Coronavírus?

O novo coronavírus, designado SARS-CoV-2, foi identificado pela primeira vez em dezembro de 2019 na China, na cidade de Wuhan. Este novo agente nunca tinha sido identificado anteriormente em seres humanos. A fonte da infeção é ainda desconhecida.

Ainda está em investigação a via de transmissão. A transmissão pessoa a pessoa foi confirmada e já existe infeção em vários países e em pessoas que não tinham visitado o mercado de Wuhan. A investigação prossegue.

Covid-19 é o mesmo que o SARS-CoV-2?

Não. SARS-CoV-2 é o nome do novo vírus e significa Severe Respiratory Acute Syndrome (Síndrome Respiratória Aguda Grave) – Coronavírus – 2. Existe outro coronavírus que causa uma Síndrome Respiratória Aguda Grave, que foi identificado em 2002, este é chamado “SARS-CoV”, por isso o Novo Coronavírus é designado por “SARS-CoV-2”. COVID-19 (Coronavirus Disease) é o nome da doença e significa Doença por Coronavírus 2019, fazendo referência ao ano em que foi descoberta.

Qual a origem do Novo Coronavírus?

Segundo as informações publicadas pelas autoridades internacionais, a fonte da infeção é desconhecida e ainda pode estar ativa. A maioria dos casos está associada a um mercado em Wuhan (Wuhan’s Huanan Seafood Wholesale Market), específico para alimentos e animais vivos (peixe, mariscos e aves). O mercado foi encerrado a 1 de janeiro de 2020. Como os primeiros casos de infeção estão relacionados com pessoas que frequentaram este mercado, suspeita-se que o vírus seja de origem animal, mas não há certezas. Isto porque já foram confirmadas infeções em pessoas que não tinham visitado este mercado. A investigação prossegue.

Quais são os sintomas?

A maioria das pessoas infetadas apresentam sintomas de infeção respiratória aguda ligeiros a moderados:
• Febre (T>37,5ºC)
• Tosse
• Dificuldade respiratória (Falta de ar)

Em casos mais graves pode causar pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos, e eventual morte. Contudo, a maioria dos casos recupera sem sequelas.

TRANSMISSÃO DA DOENÇA

Como se transmite?

A COVID-19 transmite-se por contacto próximo com pessoas infetadas pelo vírus, ou superfícies e objetos contaminados.

Esta doença transmite-se através de gotículas libertadas pelo nariz ou boca quando tossimos ou espirramos, que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo.

As gotículas podem depositar-se nos objetos ou superfícies que rodeiam a pessoa infetada. Por sua vez, outras pessoas podem infetar-se ao tocar nestes objetos ou superfícies e depois tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos.

O que o contacto próximo?

Os seguintes casos podem ser considerados como contactos próximos:

• Pessoa com exposição associada a cuidados de saúde, nomeadamente a prestação de cuidados diretos a doente com COVID-19 ou o contacto em ambiente laboratorial com amostras de COVID-19;

• Contacto em proximidade ou em ambiente fechado com um doente com COVID-19 (ex: sala de aula);

• Pessoas que viagem com doente com COVID-19, como por exemplo:

  1. companheiros de viagem num avião: as pessoas que estão dois lugares à esquerda ou à direita do doente, 2 lugares nas duas filas consecutivas à frente do doente e dois lugares nas duas filas consecutivas atrás do doente e tripulantes de bordo que serviram a secção do doente;
  2. companheiros de viagem num navio: pessoas que partilharam a mesma cabine e tripulantes de bordo que serviram a cabine do doente.
  3. Ou outros meios de transporte (autocarros, comboios…)

Os animais domésticos podem transmitir o Covid-19?

Não. De acordo com informação da Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidência de que os animais domésticos, tais como cães e gatos, tenham sido infetados e que, consequentemente, possam transmitir o COVID-19.

Uma pessoa sem sintomas pode transmitir o Covid-19?

O risco de contrair COVID-19 a partir de alguém sem sintomas é muito baixo. No entanto, muitas pessoas infetadas apresentam apenas sintomas ligeiros, sobretudo na fase inicial da doença. Portanto, é possível contrair o vírus de alguém que tenha apenas uma tosse ligeira, por exemplo, e não se sinta doente.As crianças podem transmitir a infeção e doença por COVID-19? Sim, as crianças infetadas com SARS-CoV-2 ou que estejam em fase de incubação também transmitem a doença. Pela acentuada proximidade entre as crianças, o contacto muito próximo durante a brincadeira e partilha de brinquedos com gotículas e secreções, podem ser um grande transmissor da COVID-19. Como as crianças mais pequenas são vulneráveis e não têm ainda a capacidade de se defenderem e de tomarem decisões sobre a sua própria proteção, os adultos devem assegurar os cuidados necessários para diminuir a probabilidade de transmissão.

A transmissão pode acontecer pelo ar ou através de superfícies metálicas?

O contágio não é pelo ar, mas sim através de secreções respiratórias ou gotículas que são expelidas por uma pessoa infetada e/ou durante a realização de procedimentos médicos invasivos produtores de aerossóis. As gotículas que a pessoa expele podem entrar diretamente pela boca, olhos ou nariz e provocar infeção.
Cumprir o distanciamento social aconselhado pela Direção-Geral da Saúde ou ficar em casa são boas medidas para prevenir a infeção nesta fase.
As superfícies metálicas ou outras não transmitem diretamente o vírus. Só transmitem o vírus se se tocar com as mãos numa superfície suja ou com secreções respiratórias ou gotículas que contenham partículas virais e se levar, posteriormente, as mãos à boca, ao nariz ou aos olhos. Se as superfícies forem lavadas regularmente evita-se esse contágio.

MEDIDAS DE PREVENÇÃO

O que são as medidas de higiene e etiqueta respiratória?

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença:
• Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo;
• Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%;
• Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória;
• Evitar tocar na cara com as mãos;
• Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado.

Quem está em risco de doença por Covid-19?

O vírus não tem nacionalidade, idade ou género, por isso todos corremos o risco de contração deste novo coronavírus.

Ainda assim, as pessoas que correm maior risco de doença grave por COVID-19 são os idosos e pessoas com doenças crónicas (ex.: doenças cardíacas, diabetes e doenças pulmonares).

O que as pessoas do grupo de risco por Covid-19 devem fazer?

Se tiver risco de doença grave por COVID-19, deve:

• Tomar precauções diárias (ex.: medidas de etiqueta respiratória), evitando o contacto próximo com outras pessoas;
• Afastar-se de pessoas doentes;
• Limitar o contacto social e evitar multidões;
• Lavar frequentemente as mãos.

Se houver um cluster na sua comunidade, evite o contacto próximo com pessoas e, se possível, mantenha-se em casa. Preste atenção aos sinais e sintomas. Se ficar doente, permaneça em casa e ligue para o SNS24.

Tenho de usar máscara?

De acordo com a situação atual em Portugal, não está indicado o uso de máscara para proteção individual, exceto nas seguintes situações:
• Suspeitos de infeção por COVID-19;
• Pessoas que prestem cuidados a suspeitos de infeção por COVID-19.

A Direção-Geral da Saúde não recomenda, até ao momento, o uso de máscara de proteção para pessoas que não apresentam sintomas (assintomáticas). O uso de máscara de forma incorreta pode aumentar o risco de infeção, por estar mal colocada ou devido ao contacto das mãos com a cara. A máscara contribui também para uma falsa sensação de segurança.

A utilização de máscara contribui também para uma falsa sensação de segurança.

Quais os cuidados a adotar quando uso máscara?

Em primeiro lugar, lembre-se: só deve usar máscara se tiver indicação para isso. Se lhe for indicada pelo profissional de saúde, evite máscaras de pano, que podem acumular resíduos ou até partículas infeciosas, fazendo com que aumente o risco de disseminação do vírus.
Antes de colocar a máscara, deve lavar bem as mãos. Verifique se a máscara está perfeitamente ajustada ao seu rosto e evite tocar-lhe enquanto está a usá-la. Mude de máscara quando estiver suja ou húmida e lave bem as mãos antes de retirá-la.
E lembre-se: o uso da máscara só é adequado se for aplicado conjuntamente com a higiene das mãos, a etiqueta respiratória, a limpeza das superfícies e o distanciamento social.

Devo usar luvas?

O uso de luvas na rua não é eficaz. Se foram usadas inadequadamente, as luvas podem ser um veículo de transmissão do vírus, em vez de serem um meio de proteção. Quando não indicado, o uso de luvas representa um desperdício de recursos.
O mais importante para evitar a transmissão do vírus é lavar as mãos com frequência e sempre que estiverem sujas.

Para mais informações, por favor aceda ao site da Direção-Geral da Saúde: https://covid19.min-saude.pt/

Informações sobre a sua unidade de saúde, por favor pesquise o número de cada unidade na internet ou ligue para 118

Outras informações também estão disponíveis na aplicação App Covid19 - Estamos On.